Como as tecnologias de reconhecimento facial tem contribuído para a segurança pública?

Como as tecnologias de reconhecimento facial tem contribuído para a segurança pública?

A ciência e a tecnologia revolucionaram toda a estrutura social e as atividades humanas. Assim, as relações de trabalho, as interações sociais, as formas de consumo, o acesso e o compartilhamento de informações, a educação e a saúde são exemplos de setores que passaram por profundas transformações desde as revoluções industriais e, mais recentemente, a consolidação da International-Networking – a internet.

As tecnologias aprimoradas e desenvolvidas a cada ano estão alinhadas aos interesses coletivos, para a resolução de problemas que afetam os diferentes níveis da sociedade. Dentro desse conjunto de preocupações está a segurança pública.

Diversas são as tecnologias que visam apoiar a segurança dos espaços públicos, antecipar ameaças, servir aos poderes legislativos e ao cumprimento da justiça de modo amplo.

As tecnologias de reconhecimento facial se destacam nesse sentido. Saiba, a seguir, como elas contribuem para a segurança pública.

Reconhecimento facial como aliado da segurança pública

O reconhecimento facial, por meio dos sistemas multibiométricos, tem como principal tarefa a identificação de criminosos de acordo com as suas características físicas. Entretanto, não se resume apenas a isso: contribui também para gerar um volume considerável de dados e para apontar padrões através do cruzamento de informações que podem ser usadas para mapear crimes em determinadas regiões geográficas.

Com as tecnologias de reconhecimento facial implementadas para apoiar a segurança pública, é possível antecipar condutas e prognosticar determinados comportamentos. Além disso, é um poderoso recurso para identificar tentativas de fraude e outros crimes mais corriqueiros em espaços em que circula um grande número de pessoas diariamente como os aeroportos e as rodoviárias.

O poder público brasileiro já adota, em alguns dos seus aeroportos internacionais, os sistemas de reconhecimento facial. A tecnologia de fiscalização dos passageiros é integrada aos sistemas da Polícia Federal e de algumas agências de segurança nacional.

A tecnologia é utilizada de maneira sutil, assim, o alvo não percebe que é objeto de análise. A imagem facial é processada nos bancos de dados para checar a necessidade de intervenção. A precisão dessa tecnologia é elevada e confiável, além disso, o processo é otimizado para evitar atrasos, atuações desnecessárias e contratempos.

O funcionamento desse tipo de tecnologia está apoiado em, pelo menos, três atributos que se convergem para atender aos fins a que se propõe:

  • Os pontos de localização facial, que incluem as áreas a serem mapeadas;
  • A precisão no “escaneamento” das características do rosto, tais como as distâncias entre os pontos;
  • A integração com sistemas de bancos de dados das agências e instituições públicas.

Ademais, a tecnologia de reconhecimento facial faz uso de algoritmos avançados para processar imagens de baixa qualidade ou com outros problemas relacionados, que dificultam a correta avaliação situacional.

As possibilidades de utilização do reconhecimento facial para a segurança pública são muito amplas. Em estádios de futebol, por exemplo, pode ser utilizada para impedir o confronto entre as torcidas organizadas por meio do monitoramento contínuo dos jogos, ou através do impedimento da entrada de indivíduos com histórico de causarem problemas. Como ferramenta de processamento de pagamentos, pode evitar as fraudes e roubos e assim por diante.

O reconhecimento facial tem um grande potencial de ser integrado e aprimorado às outras tecnologias durante os próximos anos, seguindo o fluxo de avanço tecnológico cada vez mais sofisticado para solucionar os problemas de segurança pública enfrentados atualmente.

Agora que você já sabe como o reconhecimento facial contribui para a segurança pública, que tal acessar outros textos do nosso blog?

Deixe uma resposta